Trabalhar / Jornada da empregabilidade

Profissões - Educador Cultural

por PROA - Por Instituto PROA23 de Agosto de 2018

A profissão de Educador cultural (arte-educador, mentor, instrutor ...) é uma profissão SIM! Muito importante para a formação cultural, principalmente dos jovens e dos iniciantes a museus.

 

Sabe por que?

Quando você começa a ir ao museu e não sabe bem como agir, o que ver primeiro e as vezes nem o que pensar, os educadores culturais vêm como uma luz no fim do túnel.

 

Sem eles as exposições não teriam muito sentido, as dúvidas não seriam sanadas, não haveria ninguém para te instigar a sair do pensamento comum e buscar mais.

 

Pensando na importância desta profissão para o pensamento crítico conversamos com a Luara Carvalho que é educadora cultural, para conhecer um pouco mais desta profissão que é sensacional!

 

Ela nos ajudou a responder algumas perguntas. Então vamos lá !

 

O que faz um Educador Cultural?

Ajuda a ampliar o repertório cultural, compartilhando conhecimento

 

 

Quais as formações um Educador cultural precisa ter?

A equipe é muito diversa, a proposta de cada exposição varia muito, na maioria das vezes são formações ligadas a educação como filosofia, história, geografia, ciências sociais ou até com formações artísticas. Tem espaço para todo mundo.

Como os educadores culturais se preparam para as exposições?

Na maioria das vezes, antes de cada exposição os educadores culturais estudam sobre a próxima exposição que terá, ou tem um curso de formação. Pesquisar faz parte da rotina de um educador cultural

 

Quais são os principais desafios?

 Na maioria das vezes é um trabalho temporário, em algumas instituições não é levado a sério a profissão de educador cultural e acaba sendo visto com um hobby que muitas vezes não é, mas algumas instituições de cultura dão abertura para eles realizarem suas pesquisas e se desenvolver, como é o caso do Tomie.

 

Onde os educadores culturais podem trabalhar?

Instituições culturais, e até na bienal de Arte.

Algumas instituições (SESC por exemplo) pegam alguns estagiários

 

Como é sua rotina como Educadora Cultural?

No Tomie o educador cultural tem flexibilidade de horários, eles têm um dia fixo para estudos e para preparar a próxima visita cultural.

 

Uma dica cultural

Movimento 3 de fevereiro


 

É impotante saber que cada educador cultural tem uma forma única de mediar a visita,  as vezes a paixão pelo tema tratado é contagiante por isso a importância de gostar do que faz.

Em algumas visitas guiadas, como a que os proanos fizeram no Tomie, foi evidente que eles saíram com um pensamento crítico que foi provocado por conta do educador cultural, as obras foram analisadas de discutidas, sem certo e errado tendo como ganho a troca, isso por possível pois tínhamos um mediador. Foi ótimo para amadurecer e semear novos pensamentos e principalmente não criticar a opinião alheia de uma forma precoce e agressiva, para alguns foi o início de um movimento difícil que é de escutar o próximo e a sim mesmo antes de falar.

 

Se você gstou, compartilhe com um amigo para ele saber mais como funciona está profissão!