5 dicas para liderar jovens no ambiente de trabalho

Vem conferir algumas dicas que podem ser muito úteis na hora de liderar jovens!

Texto: Potira Cunha
Ilustração: Gustavo Pedrosa
Capa
Quando se fala em gerenciar ou liderar jovens, nem sempre a ideia é bem recebida. Estereotipamos esse grupo de pessoas e passamos a criar monstros e barreiras, onde, na verdade, há boas oportunidades, muita ideia e energia de sobra para fazer acontecer. Nesse sentido, quebrar paradigmas e deixar velhos conceitos de lado pode fazer toda a diferença na hora de liderar um jovem.

 

 

Jovens podem – e são – colaboradores eficientes, basta que líderes saibam compreender e respeitar diferenças e entendam que canalizar suas energias e sua criatividade para objetivos bem definidos pode ser a chave para o sucesso. Afinal, quantas ideias transformadoras e quantos sonhos cabem na imaginação de um jovem, não é mesmo?

 

 

Pensando nisso, algumas dicas práticas podem ser muito úteis na hora de liderar esses jovens:

 

 

  • - Seja claro ao se comunicar: uma vez que o jovem costuma ter pouca experiência profissional, procure definir bem papéis e responsabilidades, alinhe expectativas e explique as razões por que está solicitando alguma atividade e vá direto ao ponto. Jovens são impacientes e querem saber o porquê de tudo.
  •  

  • - Descubra o que o motiva: jovens não são diferentes de outras pessoas quando o assunto é “recompensa”. Seja um prêmio, um brinde, uma promoção, um curso, um reconhecimento público, procure descobrir o que ele está buscando.
  •  

  • - Esteja aberto para ouvir: jovens querem ser ouvidos e essa pode ser uma boa oportunidade para você trazer frescor e criatividade para sua empresa. Pergunte, peça opinião e deixe-os à vontade para falar.
  •  

  • - Dê feedbacks construtivos: elogie, mas, quando necessário, corrija e oriente de forma educada, mostrando pontos a desenvolver e melhorar.
  •  

  • - Mantenha-os ocupados: jovens ficam entediados rapidamente, o que pode ser muito ruim durante o trabalho. Para evitar que isso aconteça, forneça uma lista de tarefas que devem ser executadas em ordem de importância.

 

 

  Contratar um jovem como aprendiz é deixar para trás preconceitos e dar a oportunidade para que eles possam tirar seus planos de vida do papel e transformá-los em realidade. Ao empregador, cabe entender também que cada jovem tem sua personalidade própria, características específicas, desejos e aspirações únicos. Ter um jovem como parte de uma empresa pode ser transformador não só para ele, mas para todos, trazendo mais criatividade, inovação, coragem para mudar e, acima de tudo, muita disposição e energia.